João-Gata-1200x675.png

ART4ME Webinar Lisbon
Partnership Experiences in an Arts and Mental Health Festival
Festival Mental: a case study

15 December 2022 at 11:30 (GMT) / 12:30 (CET)

Este webinar pretende partilhar as experiências de parceria de dois participantes a longo prazo, com profundos conhecimentos sobre a ligação da arte e da saúde mental, no contexto do Festival Mental, um festival de arte e saúde mental realizado em Lisboa todos os anos desde 2017.

O festival é um lugar onde diferentes pessoas e organizações se podem reunir e construir um programa de artes e cultura com enfoque na saúde mental. Os oradores convidados partilharão as suas experiências na sua linha de trabalho e as particularidades, os obstáculos, e por um lado, os benefícios das suas ocupações e o seu envolvimento com o festival e o seu programa, por outro lado.

Oradores convidados

André Viamonte

André ViaMonte é um músico e terapeuta musical nascido em Zurique, Suíça. Filho de Pais imigrantes portugueses, ele cresceu e viveu em Singen, no sul da Alemanha.
O legado cultural dos seus primeiros anos permitiu-lhe aceder a uma vasta gama de sonoridades, tendo encontrado inspiração em diferentes estilos musicais que fizeram parte da sua infância e adolescência: do folclore português ao fado, ópera e canto lírico, bossa nova e Vozes búlgaras.

Em 2013, já em Lisboa, terminou o seu mestrado em Musicoterapia, uma linha de trabalho que ele pratica actualmente. Durante os processos terapêuticos muitas composições musicais foram construídas como uma forma de expressão. ViaMonte considera que a dor pode ser convertida em arte e a arte em expressão de vida: “a música começa a ter um missão de unidade através do sentimento e da empatia, gerando sentimentos de pertença, respeito e tolerância”.

Lançou dois álbuns: VIA, a sua estreia, e MONTE. Trabalha actualmente num novo projecto musical: Emoções.

Tem colaborado várias vezes com o Festival Mental desde os primeiros dias do festival, particularmente no projecto My Story My Song no qual os músicos partilham fases difíceis das suas vidas e tocam canções originais ou de capa que os ajudaram a passar eles.

Liliane Viegas

Liliane Viegas é uma terapeuta de dança, nascida em Rabat, Marrocos, onde viveu e estudou

Estudou durante 2 anos em França antes de se mudar para Portugal, o seu país de nacionalidade, aos 19 anos de idade. A dança tem sido parte da sua vida desde a sua infância mas tornou-se a sua profissão como bailarina, professora e coreógrafa em Lisboa devido a circunstâncias favoráveis que lhe permitiram fundar a sua própria dança escola chamada “Sétima Posição“, aberta há 20 anos. Aos 36 anos de idade regressou à universidade, licenciou-se como psicóloga clínica (ISPA) e mais tarde, como Analista Bioenergética (APAB) e Terapeuta do Movimento de Dança (UA).

Trabalha desde 2003 como Terapeuta do Movimento de Dança no hospital psiquiátrico público de Lisboa (CHPL) e como corpo psicoterapeuta numa instituição privada. É membro do grupo português de Bioenergética Associação (APAB) e da Ordem dos Psicólogos (Ordem dos Psicólogos – OPP) e tem sido um dos membros fundadores do Movimento de Dança Português Associação Terapêutica em 2015 e o seu presidente em exercício nos últimos 3 anos.

O projecto de terapia de dança e movimento da CHPL que Liliane criou e actualmente supervisiona, tem faz parte do Festival Mental há 4 anos: um espectáculo de dança criado pela psiquiatria
residentes e ambulatórios no serviço de reabilitação do CHPL (Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa).

Principais Objectivos do Webinar

– Conhecer as boas práticas sobre a aliança entre a arte e a saúde mental.
– Exemplos de benefícios e obstáculos nesta linha de trabalho, percorridos por empíricos e conhecimentos académicos de profissionais a longo prazo.
– Como pôr em prática projectos relacionados com a expressão artística e a saúde mental e como organizá-los de uma forma que inclua e ajude tanto as pessoas que experimentam dificuldades de saúde mental e pessoas que, com o objectivo de combater o estigma, não partilham conhecimento e construção de relações.
– Como criar uma rede e trabalho colaborativo, bem como como organizar um evento que reúne várias experiências e abordagens à arte e à saúde mental, a fim de alcançar o público em geral, trabalhando de perto com as comunidades locais e dando um espaço às pessoas que experimentam condições relacionadas com a saúde mental para criar e fazer parte de projectos que contribuem para uma comunidade generalizada mais forte.

Ligação e Informação de Acesso Aberto

Open Access Link and Information
Title: Webinar | art4me
Date and Time: 15 dec. 2022 11:30 Lisbon (12:30 CET)
Meeting ID: 896 7283 6360
Password: 370813
Link to access Zoom presentation:
https://us06web.zoom.us/j/89672836360?pwd=VHcxcFNXaGthNzRKZm1OVmpWNHJrdz09

 

https://bit.ly/3496WWC

Uma questão de ADN

Podem ser irmãos, avós e netos, pais e filhos, companheiros, marido e mulher… São pessoas da mesma família que se juntam para uma conversa em que se fala de tudo. São percursos de vida e testemunhos que atravessam diferentes gerações. O que os une para lá do apelido, o que os separa para lá da diferença de idades.
Quarta-feira, depois das 13h00. Repete ao domingo, após as 14h00. Com Teresa Dias Mendes.
Neste episódio, Ana Pinto Coelho e Sara Pinto Coelho Kristiansen, filha e neta mais velhas do “Senhor Acontece”, Carlos Pinto Coelho.
clicar
Forum.jpg

A SAÚDE MENTAL NA ACADEMIA: O DESAFIO DO ENSINO SUPERIOR

Onde?

2 Fev 2022 | Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa |  Anfiteatro 1- Professor Ferreira Marques

Ver em directo: Fórum Saúde Mental na Academia – YouTube

As instituições de ensino superior têm um papel crucial no desenvolvimento das pessoas, comunidades,  sociedades e culturas pois têm a oportunidade de proporcionarem uma educação transformadora, dar  voz aos alunos e desenvolverem novos conhecimentos, traduzindo-se em benefícios para a sociedade em  geral. Estas instituições têm um posicionamento estratégico para gerar, compartilhar e implementar  conhecimento resultante de pesquisas, que podem melhorar a saúde dos cidadãos.

A promoção da saúde, na qual se inclui a mental, deve estar integrada nas políticas de desenvolvimento  da educação e saúde na Europa. Uma instituição de ensino superior consiste numa parte fundamental de  qualquer estratégia de promoção da saúde pelo trabalho colaborativo, transdisciplinar e intersetorial.

A academia tem como pedra basilar da sua responsabilidade social a promoção da saúde e este é um  desafio para as instituições do ensino superior do século XXI. A promoção da saúde deve ser otimizada como parte integrante de um quadro mais alargado de princípios e objetivos relacionados com a  sustentabilidade e a responsabilidade social.

De acordo com The Edmonton Charter for Health Promoting Universities and Institutions of Higher  Education, da Organização Mundial de Saúde (2006), as instituições de ensino superior promotoras de  saúde devem estabelecer uma cultura organizacional de promoção da saúde e um ambiente sustentável  para se aprender, trabalhar e viver; promoverem ações para a melhoria dos ambientes educativos, de  trabalho e de vida para os estudantes e colaboradores nas suas instituições; auxiliar os seus membros a  viver uma vida com propósito, dando-lhe um sentido, e a optar por estilos de vida saudáveis; disponibilizar  serviços de saúde para toda a academia e encorajá-los a assumir responsabilidades pela sua saúde e bem estar.

A Organização das Nações Unidas reconhece que ter a melhor saúde possível é um dos direitos  fundamentais de todo ser humano. A promoção da saúde é baseada neste direito humano fundamental  e oferece um conceito positivo e inclusivo de saúde como um determinante da qualidade de vida e que  abrange o bem-estar psicológico. Este é um processo que permite às pessoas aumentar o controle sobre  sua saúde e seus determinantes e, assim, melhorar a sua saúde.

Segundo o Programa Nacional para a Saúde Mental da Direção-Geral da Saúde é importante que a saúde  mental esteja integrada nas políticas e estratégias de saúde pública, devido ao impacto no bem-estar das  populações. A saúde mental pública tem vindo a dar uma relevância crescente às áreas da promoção e da  prevenção, incorporando os conceitos de saúde mental positiva, bem-estar e recuperação.

“Não há Saúde sem Saúde Mental”, ou seja, é essencial o investimento na promoção da saúde mental  positiva e na prevenção da doença. Ter saúde mental positiva consiste num estado de bem-estar no qual  as pessoas conseguem desenvolver as suas capacidades, são capazes de lidar com o stress do dia-a-dia,  trabalham de forma produtiva e com satisfação e contribuem ativamente para a comunidade. No fundo  implica um pleno desfrutar da vida.

Este Fórum irá abordar três temas centrais:

Instituíções do Ensino Superior Promotoras de Saúde

A Saúde Mental dos Estudantes Universitários

A Saúde Mental no Universo da Academia

Saiba mais em www.alertamente.org/forumsaudementalacademia

Para ver em directo basta clicar no link abaixo:

Fórum Saúde Mental na Academia – YouTube

cinema-charlot.jpg

Mostra de Curta-Metragens, integrada na Semana Temática das Deficiências e Incapacidades 2020.



Org.: Grupo Concelhio para as Deficiências e Incapacidades – Setúbal

Cinema Charlot – Auditório Municipal
10H00
– Apresentação dos vídeo-traillers oficiais do Festival Mental e seus parceiros – breve
nota introdutória;
– Promoção e Prevenção de Saúde Mental através da Cultura: como e porquê;
– Exemplos práticos;
– Mostra de uma selecção de filmes do M-Cinema: Festival Internacional de Curtas
Metragens 2020 com o destaque para seis curtas metragens, três de manhã, três após
o intervalo para almoço.
– Exibição de M-Cinema: manhã (cerca de meia hora de duração)
ALMOÇO
14H30
Exibição de M-Cinema: tarde (cerca de 40 minutos de duração)
– Debate final aberto ao público
https://guiaeventos.mun-setubal.pt/pt/agenda/2518/festival-mental.aspx